EDUCAÇÃO COMO AMIZADE ENTRE GERAÇÕES: REFLEXÕES SOBRE O PENSAMENTO DE HANNAH ARENDT

Carlos Eduardo Gomes Nascimento

Resumo


O ensaio debate a relação entre a noção de educação no pensamento de Hannah Arendt e o lugar das estórias humanas, criadoras do sentido da amizade entre as gerações. A filósofa concebe a educação como um espaço de mediação e cuidado entre as gerações, em que a mais antiga tem a responsabilidade de introduzir as crianças e os jovens, os novos, no mundo comum. O objeto explorado é o sentido de contar estórias na educação como uma comunicação que estabelece um diálogo fraterno entre as gerações. Entende-se que as estórias perpassam a dimensão do tempo, entrelaçam experiências e afetos entre as gerações, como uma potencialidade para um modo de pensar a educação. Mediante isso, o pensamento de Hannah Arendt se faz urgente para refletir uma educação que tenha como princípio o comprometimento e responsabilidade dos educadores com o mundo que compartilhamos, legado às novas gerações. A narrativa de estórias, pérolas cristalizadas, pode vir a ser um outro caminho para reconciliar as gerações e pensar a educação atual, perdurando a amizade no tempo.

Palavras-chave


Educação; Amizade; Narrativas; Hannah Arendt.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.